Bright Star …

Outro dia, vendo #CovertAffairs  foi citado tal pedaço do poema:

“Estrela brilhante, fosse eu como tu és constante –
Não em solitário esplendor no alto do céu pendurado…”

e assim fui atrás do poema original .

Bright star, would I were stedfast as thou art –
Not in lone splendour hung aloft the night 
And watching, with eternal lids apart, 
Like nature’s patient, sleepless Eremite, 
The moving waters at their priestlike task 
Of pure ablution round earth’s human shores, 
Or gazing on the new soft-fallen mask 
Of snow upon the mountains and the moors –
No – yet still stedfast, still unchangeable, 
Pillowed upon my fair love’s ripening breast, 
To feel for ever its soft fall and swell, 
Awake for ever in a sweet unrest, 
Still, still to hear her tender-taken breath, 
And so live ever – or else swoon in death.
 
John Keats, 1819.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s